Henrique Krausse, Saraiva e Alex Pires

Os preparativos para um Grande Prêmio

No próximo final de semana, em Cascavel, no Paraná, acontece a segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, com a presença dos principais pilotos em atividade no país. Esta semana, nossa equipe teve acesso aos preparativos da Center Moto Racing Team, única representante do Rio de Janeiro nesta temporada 2015, que tem entre seus pilotos nomes como o português Miguel Praia (#17), na categoria GP 1000, e Alex pires (#56), representante do time na classe GP 600.

Fomos recebidos por Henrique Krausse, chefe da equipe, que nos apresentou um pouco do trabalho desenvolvido antes de as motos acelerarem fundo no Autódromo Internacional de Curitiba. Para começar, o técnico luso José Carlos Saraiva nos mostrou a oficina onde as motos são preparadas, local que serve também para a separação e armazenamento das caixas com peças, carenagens e outros insumos referentes a cada uma das máquinas da Center Moto Racing, que posteriormente serão embarcadas no caminhão da equipe e seguirão para Cascavel, numa viagem de um dia e meio.

“Nós temos de estar ligados em todos os detalhes, desde a preparação e montagem das motocicletas até os conversores de voltagem que serão utilizados nos cobertores térmicos dos pneus. Tudo tem de estar de acordo, pois, uma vez no autódromo, nosso foco passa a ser somente na configuração e regulagem da motocicleta para aquele fim de semana”, disse Saraiva.

Outra curiosidade é a utilização pela equipe de uma “central meteorológica portátil”, que informa a previsão das condições no decorrer dos dias que antecedem a corrida. Segundo Saraiva, “é de extrema importância que saibamos as condições climáticas que podemos enfrentar na pista, pois ao contrário do que muitos pensam, achando que apenas pista seca ou molhada é que influem nas configurações, as variações de temperatura e até a velocidade do vento são fatores que temos de considerar para ajustar o equipamento da melhor maneira possível, incluindo pneus, suspensão, altura do chassi, entre outros”.

A rotina da equipe esta semana se baseou na distância entre Rio e Paraná, pois o caminhão deve chegar a Cascavel já nesta quarta-feira (27/05), para descarga e montagem do box. De acordo com Henrique, “temos de chegar ao autódromo já na quinta-feira (28/05) pela manhã, colocando as motos na pista para os primeiros treinos livres, além de começar a fazer a telemetria de máquinas e pilotos, iniciando o trabalho que vai se converter num bom ou mau resultado no dia da prova”.

Para esta temporada, a Center Moto também conta com a participação de Bastiaan Huisjes, técnico em telemetria da Ten Kate Racing, equipe de renome dentro do Campeonato Mundial de Superbike, e que este ano também oferece suporte ao tailandês Ratthapark Wilairot, cujo desempenho na segunda etapa do certame, pela categoria Supersport (600 cc), lhe valeu nada menos que a vitória na corrida que disputou em solo natal.

“O grande segredo é buscarmos a sintonia entre o piloto e a máquina, pois só assim saberemos se faremos uma boa corrida. Muitas vezes o piloto não está em um dia bom ou com a cabeça voltada exclusivamente para desempenhar seu papel dentro do calor da disputa, sendo nossa missão observar estes detalhes. Estamos muito felizes pelo trabalho que estamos fazendo, porque estamos colocando a Honda para andar no mesmo patamar de motos que nitidamente possuem maior potência e contam mais recursos eletrônicos, mas esse desafio é o que nos torna mais fortes”, finalizou Saraiva.

Fonte: Center Moto Racing Team
Fotos: Moto Channel Brazil/Moto 1000 GP

1 responder

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>